Em breve! Site nos seguintes idiomas:

Autor: Marcelo Henrique Xavier Ribeiro Borges 

Edição do Autor / Kelps

Tamanho: 21cm X 28cm (Capa Dura – Formatação A4)

Número de Páginas: 722

ISBN: 978-85-400-0479-5

CDU: 111.1

Edição: 1ª Edição

 

  

 

 

 Seja você quem for, seja bem vindo! 

Este é o espaço virtual do projeto de pesquisa “História da Ayahuasca”, buscamos através deste meio estabelecer um contato direto com todos os leitores interessados no tema, acadêmicos ou não.

Primeiramente apresentamos o livro “História da Ayahuasca no Brasil: um estudo ontológico sobre as fronteiras da travessia humana com o suprassensível”. Nossa única intenção é ampliar o campo de estudo e investigação a respeito de um tema que tem gerado tantas buscas, polêmicas e indagações: a história da Ayahuasca… uma bebida misteriosa com milenares raízes de comunhão entre diversos povos da Amazônia e Cordilheira dos Andes.

Através deste espaço virtual buscamos apresentar nosso trabalho de pesquisa e ao mesmo tempo contribuir com novas investigações que venham se constituir, por isso compartilharemos importantes documentos históricos que possam ampliar os horizontes de reflexão. Nosso projeto é que este espaço seja uma fonte constante de pesquisa, já contamos com um grande acervo documental, todavia, será através da colaboração dos leitores que poderemos ampliar e enriquecer o trabalho. Desejamos que todos sejam bem vindos e que façam bom uso do meio de comunicação que agora apresentamos para nossos estudos. Nada mais nos falta a não ser prosseguir com o trabalho de investigação e narração, esperamos ainda que uma boa história seja contada!

O principal foco de nossa pesquisa centra-se na abordagem sobre a transposição das tradições ancestrais de comunhão da Ayahuasca às culturas urbanas do Brasil, investigando a formação das chamadas ‘Linhas Raízes’ no decorrer do século vinte (XX): O Daime, a Barquinha e a União do Vegetal. Abrindo o diálogo entre a travessia pessoal e coletiva, a narrativa conta a história de vida dos mestres fundadores destas vertentes religiosas, Raimundo Irineu Serra, Daniel Pereira de Mattos e José Gabriel da Costa – respectivamente. Indo além de tabus e dogmas, nossa visão direciona o olhar para as pegadas humanas travadas pelos pioneiros no decorrer da travessia… sem desmerecer os símbolos míticos que alcançaram, reconhecemos apenas que através de suas pegadas humanas, se tornaram grandes e projetaram suas visões de mundo à posteridade. Num momento adequado, proferimos a reflexão sobre os processos de assimilação da tradição ancestral pelas populações urbanas, a começar pela eminência de um discurso cristianizado dentro da floresta amazônica, seguido pela expansão nacional em expressões de sincretismo religioso e hibridismo cultural, mas também pela tragédia do comércio com o sacramento indígena e o seu uso em consórcio com narcóticos e entorpecentes, fatores que promoveram a formação de organizações criminosas no seio dos ritos modernos nacionais.

Essas histórias são abordadas na íntegra em nossa narração… que nasce por FATOS E EVIDÊNCIAS sobre a história pessoal dos pioneiros, algumas simples e descontraídas, como o encontro de Mestre Irineu (Daime – Alto Santo) com a Ayahuasca por volta de 1912; às vezes amargas, como as desventuras de Frei Daniel (Barquinha) até alcançar a cura em 1945; ou dramáticas, como a agonia solitária de Mestre Gabriel (União do Vegetal) no leito de morte em 1971. Outras são trágicas, como a formação de uma rede criminosa por Sebastião Mota de Melo (Padrinho Sebastião – Santo Daime/Cefluris), aliciando no porvir, jovens, intelectuais e até autoridades públicas. Conheça os segredos por trás das sombras do passado, por uma abordagem histórica totalmente fundamentada em documentos e depoimentos de testemunhas oculares.

 

Que a leitura destas páginas venha por uma escolha livre e soberana.

 

 

ORGANIZAÇÃO: 

Nota do Autor:

 Espaço de apresentação inicial do livro “História da Ayahuasca no Brasil: um estudo ontológico sobre as fronteiras da travessia humana com o suprassensível”: foco de pesquisa, perspectiva filosófica, abordagens temáticas sobre a travessia dos ritos de comunhão da Ayahuasca às esferas urbanas do Brasil contemporâneo e apresentação do autor.

 

O Livro:

 Exposição do livro com: 

  • Índice.
  •  Apresentação.
  • Fragmentos de capítulos: Parte I – Capítulos I, II e III; Parte II – Capítulos IV, V e VI; Parte III – Capítulos VII, VIII e IX.

 

Por se tratar de um trabalho extenso em todo o livro, esta abordagem busca somente compartilhar indícios da pesquisa realizada, geralmente com os primeiros parágrafos de cada capítulo e fragmentos temáticos dos tópicos descritos no “Índice”. A leitura desta apresentação em nada desmerecerá a posterior leitura do livro, uma vez que somente através do trabalho publicado será possível compreender os percursos da pesquisa e aprofundar nos caminhos de análise e reflexão, bem como ter ciência de todo o arcabouço documental exposto.

Os fragmentos dos capítulos foram selecionados por temas para esta exposição, por eles os leitores poderão ter uma noção inicial da pesquisa e escrita. Através da interação dos leitores poderemos ampliar ou reduzir a exposição do trabalho, de tal forma aguardamos a manifestação de quem se interessar!

 

Grandes novidades estão reservadas unicamentes ao livro!

Afinal… são 722 páginas de escrita por uma pesquisa de 10 anos.

 

Arquivo Central:

 O “Arquivo Central” é o espaço que compartilharemos as fontes documentais de nossa pesquisa e ainda apresentaremos outras não trabalhadas. No decorrer do livro “História da Ayahuasca no Brasil”, fizemos uso de documentos históricos inéditos, entre eles, arquivos de áudio das próprias tradições ayahuasqueiras e referenciais bibliográficos sem publicação, por este mérito, todos os arquivos são apresentados neste espaço com o objetivo de comprovar nossas fontes de pesquisa, mas também deixar um rico acervo documental a disposição dos leitores.


Arquivo de Áudio: 

Arquivos de gravações com músicas e preleções de diversas tradições ligadas a comunhão da Ayahuasca (ordem cronológica): 

 

Xamanismo – músicas indígenas amazônicas e andinas, com especial atenção para os “Íkaros”.

 

Daime – Hinário “O Cruzeiro Universal” de Mestre Irineu (diversas versões) e Hinários dos pioneiros fundadores da tradição: “Sois Baliza”, Germano Guilherme; “Seis de Janeiro”, João Pereira; “O Mensageiro”, Maria Damião; “Amor Divino”, Antônio Gomes.

 

 Barquinha – Hinos e Salmos de Frei Daniel: somente os que foram citados no livro, pois já contam com a autorização dos dirigentes da tradição para publicação.

 

 União do Vegetal – Chamadas, Histórias e preleções de Mestre Gabriel, incluindo a “História da Hoasca” e “História da Criação”. Ainda com arquivos de depoimentos de pioneiros da tradição, como o filho do mestre fundador, Jair Gabriel da Costa.

 

 Linhas Independentes – Músicas e Hinos de linhagens ayahuasqueiras identificadas como “Linhas Independentes” por não pertencerem diretamente às tradições das ‘Linhas Raízes’.

 

 Céu Nossa Senhora da Conceição – Hinário completo do Xamã Gideon dos Lakotas, além de vídeos e palestras do mesmo.

 

 Variados – Músicas diversas e demais acervos comumente utilizados em ritos de comunhão da Ayahuasca no Brasil.

 

Arquivo de Imagem:

 Banco de imagens a respeito de culturas ancestrais e ritos contemporâneos ligados à comunhão da Ayahuasca: Amazônia, Cordilheira dos Andes, Nazca, Puma Punku e Tiahuanaco, ‘Linhas Raízes’, Linhas Independentes, Céu Nossa Senhora da Conceição e arquivos variados.

 

Arquivo de Documentos:

 Documentos públicos, artigos e referenciais bibliográficos sobre a “História da Ayahuasca no Brasil”.

 

Diálogo Aberto:

 Espaço destinado para a interação do autor com os leitores através de três meios:

 

1º – Publicações de artigos inéditos do autor.

2º – Mensagens, informações e notícias sobre a Ayahuasca.

3º – Publicações de ‘Cartas dos Leitores’ com resposta do autor, de acordo com os critérios estabelecidos em “Nota do Autor”.

 

Contato com o Autor:

Canal de comunicação dos leitores direta e exclusivamente com o autor.

 

Comprar:

 Termo de Compromisso sobre a manutenção da privacidade absoluta dos leitores que se interessarem em adquirir o livro “História da Ayahuasca no Brasil: um estudo ontológico sobre as fronteiras da travessia humana com o suprassensível”.

 Modo de Compra através do programa “PAG SEGURO”: um sistema altamente difundido nos mercados virtuais, com nome e prestígio consolidados entre as mais diversas áreas de transações financeiras, justamente devido à credibilidade e segurança do sistema operacional através de cartões de crédito ou boleto bancário.

 


 

 

Novamente reiteramos nossos cumprimentos para que todos sejam bem vindos! Antes de ser um fim, nosso trabalho apresenta-se apenas como um ponto de partida. Aqui está à escrita de uma pesquisa realizada ao longo de dez anos a fio… entre 2002 e 2012. A par de tantos desafios, compartilhamos esta escrita a fim de encontrarmos novas reflexões pelo olhar dos leitores, por isso damos nossas boas vindas a quem quer que seja, pois sabemos que, antes de tudo… sempre é tempo de um recomeço. 

Cada leitor que tomar parte desta escrita estará de modo consciente, estabelecendo um diálogo com o passado. Nosso postulado, manifesto desde a abertura do trabalho, é que nossa narrativa sobre a “História da Ayahuasca no Brasil” seja um ponto de partida e não um ponto final. Cabe, portanto, a cada leitor volver o conhecimento em prol do crescimento da sabedoria em nossos estudos. Todas as reflexões que trouxerem maior perspectiva de investigação serão bem vindas, assim a humanidade poderá crescer em conhecimento, aprimorando o arcabouço teórico de nosso ofício. Este trabalho encontra-se na fase inicial, conforme será elucidado sobre as demais intercessões no plano da fundamentação teórica e metodológica, bem como na expressão de nossa narrativa, será justamente a partir do retorno advindo dos leitores que poderemos lapidar nossa pesquisa para uma “Edição Final”, acrescentando novas perspectivas de análise, documentos e depoimentos.

Incentivamos que novas pesquisas sejam elaboradas e publicadas, somente com o fortalecimento de novos paradigmas para a investigação da historicidade da Ayahuasca, poderemos avançar no conhecimento sem prejuízo à fé de ninguém. O conhecimento é livre, seu dever é caminhar sem arestas de cabrestos ou dogmas, por isso todas as investigações que, porventura, venham escrutinar as análises sobre a formação das ‘Linhas Raízes’ da Ayahuasca no Brasil, poderão somente contribuir para o crescimento dos estudos históricos e culturais, contando com o nosso irrestrito apoio para publicação. 

 

 

Tempo de Travessia

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, 

que já tem a forma do nosso corpo, 

e esquecer os nossos caminhos,  

que nos levam sempre aos mesmos lugares.  

É o tempo da travessia:  

e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado,  

para sempre, à margem de nós mesmos.

                                                Fernando Pessoa